Carregando...
Faça seu login|
Início Notícias
Ler notícia

Compartilhar

Agosto Dourado

Agosto Dourado
01
Aug

A Lei nº 13.435/2.017 instituiu o mês agosto como o Aleitamento Materno no Brasil. A partir de então, durante todo o mês são realizadas, em diversos locais do país, ações de conscientização e esclarecimento sobre a importância do aleitamento materno.

Assim, o mês de agosto passou a ser conhecido como Agosto Dourado (relacionado ao padrão ouro de qualidade conferido ao aleitamento materno) e simboliza a luta pelo incentivo à amamentação.

A amamentação é um processo natural e essencial para o desenvolvimento saudável do recém-nascido e da criança. É um ato que envolve a alimentação e o vínculo entre mãe e filho e, durante séculos, foi a única fonte de nutrição para os bebês, o que desempenhou um papel fundamental na sobrevivência e no desenvolvimento infantil. Com o avanço da ciência, compreende-se cada vez mais os benefícios da amamentação, tanto para a saúde imediata do bebê, quanto para seu desenvolvimento a longo prazo.

O leito materno é, naturalmente, indispensável nos primeiros momentos da existência e a recomendação mundial é de que o aleitamento deve ser exclusivo até os 6 meses e complementado com adição de alimentos variados até os 2 anos ou mais.

São diversos os benefícios da amamentação para o bebê e também para a mãe e estes serão demostrados a seguir:

Benefícios para o bebê:
Nutrição ideal: O leite materno é o alimento mais completo e balanceado para um recém-nascido. Ele fornece todos os nutrientes necessários para um crescimento saudável, incluindo proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais.

Proteção imunológica: O leite materno contém uma variedade de componentes imunológicos que ajudam a proteger o bebê contra doenças respiratórias e gastrointestinais, diminuindo, assim, o risco de doenças e hospitalizações.

Prevenção de doenças crônicas: A amamentação está associada a um menor risco de desenvolvimento de várias doenças crônicas na vida adulta, incluindo obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão e doenças cardiovasculares. Os benefícios da amamentação podem ser atribuídos a fatores nutricionais e imunológicos presentes no leite materno.

Desenvolvimento cognitivo: Estudos mostram uma associação entre a amamentação e o desenvolvimento cognitivo. O leite materno contém uma série de proteínas, que são essenciais para o desenvolvimento do sistema nervoso central, o que pode ter efeitos positivos na inteligência, memória e habilidades de aprendizado da criança.

Benefícios para a mãe:
Recuperação pós-parto: A amamentação estimula a liberação de ocitocina, um hormônio que ajuda o útero a retornar ao seu tamanho normal mais rapidamente após o parto. Além disso, a amamentação pode auxiliar na perda de peso, pois requer um alto gasto de energia extra da mãe para a produção do leite.

Redução do risco de doenças: Estudos demostram que mulheres que amamentam têm um menor risco de desenvolver câncer de mama e ovário. A amamentação também está associada a um menor risco de osteoporose e doenças cardiovasculares.

Vínculo mãe-bebê: A amamentação fortalece o vínculo emocional entre a mãe e o bebê. O contato pele a pele, o olhar e a interação durante a amamentação promovem a liberação de hormônios como a ocitocina e a prolactina, que levam ao bem-estar emocional da mãe.

A amamentação desempenha um papel fundamental na saúde e no desenvolvimento infantil. Seus benefícios nutricionais, imunológicos, cognitivos e emocionais são inquestionáveis. É fundamental incentivar políticas de incentivo à amamentação, garantindo que as mães tenham o apoio necessário para amamentar seus filhos exclusivamente nos primeiros seis meses de vida e continuar a amamentação até os dois anos de idade ou mais, complementada com alimentos adequados. Os profissionais de saúde também precisam desempenhar seu importante papel na promoção e no apoio à amamentação, fornecendo as informações e orientações necessárias às mães, de modo a tornar a amamentação um ato de prazer e bem-estar para o binômio mãe-filho.